100%Femme

100% FEMME permite-me expor tudo de tudo...sobre a vida social... sobre o machismo... sobre o que está mal e o que está bem... sobre o que me apetece escrever...

Sunday, January 06, 2008

18 razões para não casar - revista HAPPY WOMAN - edição de Janeiro/2008 (nº 23)


Não pude deixar de reparar no título e consequentemente de postar aqui estas maravilhosas e não menos intrigantes razões, que cada vez mais mulheres seguem como ideologia, de forma a levar, orientar, coordenar e controlar o rumo das suas vidas...


"1ª Razão: A realização profissional está primeiro


"Estou concentrada na minha profissão. Trabalho muito. Assumo que não disponho de muito tempo afectivo", conta-nos Sandra.... "As pessoas olham-me com pena, acham que sou infeliz poruqe ainda não tenho marido e filhos. Sinceramente, não sinto falta nenhuma. O trabalho é a minha principal fonte de prazer e realização. Já terminei dois noivados porque sempre dei prioridade à minha carreira."


Opinião pessoal: Suponho que a carreira e a vida a dois consegue ser compatível... mas até que ponto?Nos dias de hoje não é fácil chegar a casa e ter de "aturar" a nossa cara metade quando o que realmente queremos é um duche bem quente e relaxante, uma coisa leve de jantar e enroscarmo-nos no sofá.



2ª Razão: O prazer de ser independente


As novas solteiras incorporam os valores da liberdade, da independência e da juventude, que enaltecem ao máximo a sociedade em que vivemos. Defendem a solidão como uma oportunidade de liberdade, independência financeira e igualdade sexual. Rita decidiu permanecer solteira para preservar a sua liberdade e dedicar-se a prazeres como viajar e estudar. "Certamente se estivesse casada e com filhos teria de abrir mão de boa parte das viagens que faço e não teria tanto tempo disponível para continuar a estudar", afirma."


O.P.: ser independente tanto a nível pessoal como financeiro, como de outra coisa quaquer é o que as mulheres sonham hoje em dia! e, hoje em dia, a verdade é que realmente muitas mulheres deixando de subjugar-se ao dito "poder masculino" conseguem libertar-se e... o sonho torna-se realidade :)


3ª Razão: Cada vez mais selectivas na procura


À medida que nos tornamos donas do próprio destino, ficámos mais selectivas nas nossas escolhas sobretudo no que diz respeito à vida amorosa. As expectativas face ao sexo oposto, que vigoravam noutros tempos alteraram-se radicalmente, sobretudo quando ambos têm em comum um estatuto socioeconómico acima da média. Refere MariaInês que "não quero um marido para ter segurança financeira, status ou filhos. Quero um homem para suporte emocional, intimidade e amizade. Só que eles não foram educados para isso e acabam por se intimidar com as nossas conquistas e nem sequer são capazes de comunicar."


O.P.: não podia estar mais de acordo!!! O nosso companheiro é para estar lado a lado, e ser amigo... estar lá quando precisamos! e vice versa... não precisamos da nossa cara metade para abrir uma conta no banco ou para alugar uma casa! precisamos de um amigo... de cúmplice...de um amante...

4ª Razão: Prioridade para a descoberta interior


Há uma maior preocupação com o auto conhecimento e a satisfação própria, que acaba por relegar o casamento para 2º plano. "Quero conhecer-me melhor e descobrir qual o meu papel como mulher. E esta minha prioridade parece-me incompatível com o casamento. Tenho um namorado há 2 anos, mas cada um tem a sua casa", refere Teresa.

O.P.: a descoberta do nosso papel na sociedade e no nosso próprio mundo, dos nossos amigos, da nossa família, pode durar uma eternidade... por isso aproveitem bem o dia (e a noite)!


5ª Razão: Medo de sofrer


As novas solteiras não vêem sentido na dor. Se sofrem com o amor, encaram a experiência como um erro que não deve voltar a repetir-se. Assim, fecham-se a novos encontros ou vão trocando de namorado. "Criei uma espécie de armadura que impede de me entregar totalmente a uma relação" revela Helena que 3 semanas antes do casamento o namorado disse que estava apaixonado por outra mulher.


O.P.: as muheres conseguem ser assim... implacáveis... frias e duras com elas mesmas. Seguir em frente e erguer a cabeça é mais fácil do que se pensa! é só seguir... com tristeza mas é só seguir! e novas oportunidades surgirão que nos alegrarão e nos vão fazer sorrir novamente (com ou sem novo namorado)!


6ª Razão: Fobia a compromissos


"Detesto a ideia de uma pessoa com direitos sobre mim e eu com obrigações para com ela. O casamento, seja pela Igreja ou não, não é mais do que um contrato. Não compreendo como é que isso pode trazer felicidade a alguém" conta Neuza


O.P.: um contrato é isso mesmo: alguem que tem algo para oferecer, alguém que procura algo e juntam o mesmo interesse para obterem um resultado! Palavras para quê?? a felicidade não se resume a isso...


7ª Razão: Não ter de partilhar o nosso espaço


Quando conquistamos o direito a ter um espaço só nosso, com o passar do tempo, a partilha torna-se mais complicada. "já vivi sozinha e a dois... o dia a dia sob o mesmo tecto é dificil. Sou independente e não quero fazer concessões. Acho agradável passar uns fins-de-semana juntos, dormir na casa dele de vez em quando ou ele na minha, mas não gosto de imaginar que vou ter de partilhar para sempre o meu espaço com alguém. É o meu canto, a minha intimidade"-revela Susana.


O.P.: gosto muito da minha pessoa, da minha individualidade, do meu espaço (que para já é só o meu quarto). partilhar o nosso espaço com alguém não deve ser fácil. Dar um pouco de nós todos os dias... ceder quando não queremos...mas penso que dividir com a pessoa que gostamos o quentinho do sofá, o aconchego dos lencóis, humm... deve ser muito bom!!! entretanto um tempo a sós faz sempre bem à mente e à alma...


8ª Razão: Horror à monotonia


"Para mim o casamento implica uma rotina e eu não me imagino feliz a viver uma vida monótona, de acordo com os padrões que uma grande parte da sociedade ainda cultiva e promove", explica Cláudia


O.P.: a pior parte (salvo seja) são os filhos... enquando existem duas pessoas adultas, autónomas e independentes há a possibilidade e a necessidade de programação criativa - uma ida ao cinema, um jantar romântico, chegar tarde a casa depois do ginásio... quand se envolvem os mais pequenos esqueçam... não há nada disso, a não ser que estejam dispostos a largar uns quantos € num(a) babysitter, ou sair para deixar o(a) pequenote nos pais(sogros)!! esqueçam!! NÃO ESTOU PREPARADA! bebés sim... mas nos outros! :) (tá claro que nada que envolva um bebé é monótono... mas "rouba" muito do nosso tempo que, já sendo pouco, nos era destinado. pode parecer egoismo, mas com a vida frenética que as mulheres actualmente levam se não têm tempo para elas, como vão ter para os seus herdeiros?)


9ª Razão: Medo de perder o equilíbrio conquistado


"Ao longo da minha vida sempre tenho dado prioridade à minha autonomia profissional, financeira e emocional.Já tive relacionamentos duradouros, um grande amor, foi muito bom, mas não deu certo. Nessa época, o casamento a maternidade tinham valor para mim, mas há medida que o tempo foi passando fui mudando alguns valores e passeia dar prioridade à minha autonomia. Agora estou muito feliz e não vou rriscar perder o equilíbrio que tanto me custou a conquistar", afirma Adriana.


O.P.: conseguir uma carreira de sucesso e uma vida como mulher não é propriamente fácil. Não é que sejemos vítimas da sociedade, mas é dificil conjugar todas as tarefas e todas as pessoas que nos rodeiam, e agradar igualmente a gregos e a troianos! Uma vez conseguido esse valioso task é muito complicado abdicar desse troféu... As grandes conquistas ficam para sempre no nosso ego e lá permanecem...


10ª Razão: Não há desejo de ser mãe


Paula nunca teve o desejo de ser mãe. Pedro sabia a sua decisão quando começaram a namorar há 4 anos. agora ele pede-a em casamento quase todos os meses e ela diz-lhe sempre que não. ;otivo: Paula não deseja ser mãe, mas acredita que ao decidir casar-se com o companheiro lhe está a "impor a decisão de ele nunca vir a ser pai."Por isso, prefere continuar feliz ao lado de Pedro e sentir que se um dia ele quiser ir embora o pode fazer sem que seja necessário um divórcio.

O.P.: ver O.P. da razão nº8 :)


11ª Razão: Precisar de muitos momentos de solidão


"Já fui casada uma vez e sei como é terrível sentir que temos de ser sempre dois. Gosto muito de estar sozinha, de ter tempo só para mim e, sem estar casada, sinto-me muito mais livre para dizer ao meu namorado para ir dormir para casa dele", confidencia Bárbara.


O.P.: namoro há já um tempo considerável!! já somos 2 há mt tempo... No entanto, e para já, cada um em sua casa. aprecio o meu tempo isolado, sozinha... vamos ter de lidar com o conjunto, um dia :)


12ª Razão: Pânico de não ter tempo para os amigos


É com os amigos que Maria gosta de "comemorar as suas vitórias, chorar as derrotas e partir rumo a paraísos distantes pelo menos uma vez por ano". Refere que tem medo dque ao assumir um compromisso mais sério fique sem tempo ou capacidade emocional para se dedicar aos seus amigos.


O.P.: os amigos são uma das partes mais importante da nossa individualidade. Sem qualquer receio aceitam-nos tal como somos... precisamos de amigos como precisamos de comer ou beber... somos singulares dentro de um grupo! Esta relação de amigos/namorado/companheiro será mais fácil se fizerem todos do mesmo grupo. No entanto as pessoas (tanto do lado feminino como do lado masculino) vão conhecendo novas pessoas do trabalho, de restaurantes, de autocarros... que por vezes não se conjugam com o seio do "dois"! E aqui podem surgir os problemas... mas nada que uma boa conversa não ajude e o declarar "o nosso tempo só para nós". Por exemplo destinar um certo dia da semana ou do mês só para nós (tanto para nós como para ele)... tempo para pensarmos o que queremos, tempo para cuidarmos de nós, tempo de um jantar com os amigos, uma ida ao cinema! :)


13ª Razão: Receio de não saber partilhar o dinheiro


"Sou auto suficiente e não me imagino a dividir o meu dinheiro com alguém ou a ter que prestar contas de uanto gasto nuns sapatos ou numa massagem. Casamento impica partilha e eu não estou preparada para partilhar conta bancária com ninguém.", refere Maria que mal começou a trabalhar comprou casa, carro e economiza o sufciente para uma grande viagem por ano.


O.P. Confesso que para mim qualquer relação de dinheiro/companheiro me faz uma confusão tremenda! O € é mu... porque raio o heide colocar numa copnta conjunta? e se as conisas dão para o torto? quem é que fica com o que? se eu gastei mais... se ele gastou mais...pffff é mt complicado! mas o que é certo é que abri recentemente uma conta ordenado onde já consta o nome dele (como 2º titular...) mas é um passo certo? Pretendo partilhar sim, mas tudo na mesma proporção...se eu colocar X, X terá ele de colocar também e não Y... evitam-se aborrecimentos e constrangimentos... é mais fácil... Não que pense que amanhã vai tudo acabar mas por segurança já diz o ditado "mais vale prevenir do que remediar"!


14º Razão: Não ter de aturar a sogra


"É bom ser recebida como convidada em casa da família do meu namorado sem ter obrigação de agradar diariamente à mãe dele e aturar as intrumissões dela na nossa vida. Sem a legalização da união elas não se sentem com tanta legitimidade para dar palpites e assim sinto-me mais segura", refere Joana.


O.P: Uma coisa que já deixei bem assente é que não quero pessoas em minha/nossa casa sem serem convidadas, sejam familia (minha ou dele) ou amigos... caso contrário não tenho qualquer problema em não abrir a porta ou de muito bem os mandar embora! não tolero faltas de respeito ou intrumissão dentro do meu espaço que me façam sentir desconfortáveis (a mim ou a ele). é um ponto sem qualquer retorno! e tenho dito! :)


15ª Razão: Medo de falhar


Com o número de casamentos fracassados a aumentar de ano para ano, é legítimo que o medo de falahr nos iniba de dar o passo que leva até ao casamento. "Mais vale estar solteira e viver sozinha", diz Francisca.


O.P.: Deve ser realmente complicado passr por um divórcio... por isso arrisca-se uma vez... mas não mais do que isso! quem cai à primeira é porque não sabia, quem cai à segunda ia distraido, quem cai à terceira é tonto!


16ª Razão: Evitar a burocracia do divórcio


Helena tem servido, nos ultimos anos, de apoio a muitas das suas amigas que se vêem envolvidas em complicadas teias de advogados e tribunais para discutir quem fica com o quê e quanto tempo é que cada um pode passar com os filhos.


O.P: o ideal era não haver divórcio nenhum!! No entanto , já que isso não pode ser o ideal era sairem todos amigos e contentes, mas já que também não pode acontecer o ideal era pensarem nas crianças envolvidas e fazerem aquele esforço quase impossivel de ao menos serem sociáveis e resolverem as divergências sem terem de ir por via de tribunal. Não só custa uma fortuna como nunca chegarão a qualquer acordo que agrade a ambos!Estando ou não casados, havendo filhos o fundamental é isto mesmo! esforçarem-se por eles...porque divergência haverá sempre!


17ª Razão: Manter a liberdade

"Moro sozinha, adoro o meu trabalho e tenho uma óptima vida de solteira. Dou muito valor à minha liberdade e torna-se complicado aturar alguém. Já quis muito um companheiro que abraçasse a vida comigo, mas só encontri homens imaturos empenhados em controlar a minha vida", revela Gisela.

O.P.: Palavras para quê? homens imaturos? quem os queira que os compre...

18ª Razão: Acreditar que casamento e bom sexo não rimam

Partilhar a casa, a intimidade e todos os outros aspectos do quotidiano é um dos piores inimigos do desejo. "Já vivi a dois durante 5 anos. O sexo, que a principio era fabuloso, tornou-se monótono. O desejo foi desaparecendo e levou com ele o amor. É muito mais excitante chegar a casa, tomar um banho, arranjar-me e esperar que ele me venha buscar para irmos jantar fora", afirma Laura.

O.P.: Monotonia? Livrem-se dela!! Variem... Nada pior que ser a mesma coisa todos os dias! surpreendam-nos e surpreendam :) não esperem pela iniciativa se ela não vier façam-na vocês! desinibam-se e percam a vergonha que ela não é necessária!!

Desejo a todos e todas um repensar das vossas posições pessoais e sociais e sejam felizes... libertem-se, sejam criativos e não esperem que a felicidade caia no colo! corram antes atrás dela! :)

2 Comments:

  • At 8:35 PM, Blogger catarina said…

    Não acho que se perca a independência, liberdade, etc com um casamento. Já os filhos sim, aí concordo e dou o braço a torcer. É uma questão de pesar os prós e os contras.

     
  • At 3:05 AM, Blogger AnaLua said…

    lolololololol bem que posso esperar sentada para ter mais um sobrinho ai dos teus lados:)

    ha alturas para tudo na vida minha linda, com os pikenos passas a viver em funçao deles é certo mas o que ganhas é muito mais do que aquilo que perdes...

    tenho dito (eu k n tenho filhos lolol)

    bjinhossssssssssss

     

Post a Comment

<< Home